quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Intimista



Me desculpem se eu tenho sumido, escrito pouco e comentado nos seus blogs menos ainda. Juro que não é má vontade, só venho passando por uma fase completamente antissocial: não consigo pensar em me colocar na vida dos outros, assim como tem me parecido difícil deixarem saber da minha. Estranho colocar dessa maneira, mas acho que tenho vivido um período de preservar a intimidade, explico: eu tirei férias de julho, passei dez dias em casa, sozinha (namorido foi visitar a mãe), em silêncio, só com meus livros e pensamentos, e acho que isso me lembrou quão complicado eu sempre achei conviver com pessoas. Quando voltei ao trabalho na segunda-feira, o barulho, a falação, o entre-e-sai me pareceu desesperador, e acho que ainda não me acostumei de novo com a balbúrdia. Meu corpo grita por calma e serenidade, mas os problemas, os desafios e a caraga de trabalho pouco natural que eu tenho tido me obrigam a sair da minha “concha”, e falar, falar, falar... Às vezes, eu tenho falado demais, coisas banais, às vezes inúteis ou sem sentido, só para evitar ouvir o outro, e eu sei que é egoísta, mas eu estou num estado de embotamento mental tão grande, tão preocupada com coisas maiores – maiores que eu, inclusive – que é impossível ouvir falar de roupa, maquiagem, carros e outras coisas fúteis sem ter vontade de gritar. Não é que eu não goste de roupa nova, ou de me sentir bonita, ou - menos ainda – que eu não quisesse um carro só meu e que viesse com a CNH de brinde, é só que nesse momento, eu estou melhor em silêncio. Nas poucas vezes que eu me pronuncio, acabo destilando mau humor e desânimo, e pareço também um tanto quanto grossa, e por isso, prefiro calar para não magoar ninguém, e nem espalhar meu mau humor. Será que é o tipo de coisa que só acontece comigo? Se alguém já passou por algo semelhante, grita, prometo que vou parar e escutar!

P.s: Patty! Eu não sabia que meu blog estava com as letrinhas malditas, obrigada por avisar, já consertei (:

3 comentários:

patty disse...

Oi Mayara! Às vezes andamos sem paciência para coisas materiais, isso acontece com todos. Respire, tenha paciência, as outras pessoas não sabem o que anda rolando na nossa cabecinha. E vc sabe que sou totalmente o contrário? Eu adoro ouvir o que os outros têm para falar. Pode ser a maior bobagem, desde que me deixem quieta no meu canto, desde que eu não precise nem responder, podem falar à vontade! Qdo estou nessas fases, claro... não é o caso agora... na verdade, eu me odeio nessas fases. Eu ando muito tagarela. Atualmente eu consigo transformar qq assunto em um discurso de 30 páginas. Deu para perceber, né? Mas se eu estou de mau humor,já vou logo dizendo. Estou com tédio. Estou de mau humor. Não quero fazer nada. E tento sair da rotina o máximo possível, para mudar o astral. Já cansei de passar por chata por não querer incomodar os outros, hoje incomodo mesmo. Procuro fazer piadas de mau humor e acabo esquecendo que estava de pá virada. Humor negro não funciona com vc? Bjs.

Viviane Alves disse...

Oi amiga, estou passando para agradecer pela linda mensagem de aniversário e por todo seu carinho!
bjs
Vivi
www.viviass.blogspot.com
www.meublogdereceitasfavoritas.blogspot.com

Palavras Vagabundas disse...

Mayara, gostar e precisar de um recolhimento é saudável! O problema está em isso se tornar uma constante. Volte quando quiser, a minha porta é sempre aberta.
bjs
Jussara