domingo, 26 de fevereiro de 2012

Born to be uai


Essa foto do seriado "Revenge" é só para vocês verem o abajur de coral da Amanda/Emily que a mineira aqui adoraria ter!
 Eu sempre tive curiosidade de saber por que o que falta é tão valorizado pelo ser humano. Raras são as pessoas que conseguem percebem o valor das coisas enquanto as possuem: na maior marte das vezes, só conseguimos enxergar como elas nos eram caras quando elas nos faltam. É assim para todo o tipo de elementos: de pessoas a roupas velhas, custamos a notar o quanto algumas coisas nos eram caras até o momento em que elas deixam de fazer parte de nossa vida.
Eu estava pensando ainda hoje sobre um exemplo dos mais bobos : alguém me explica aí por que é que mineiros gostam tanto de praia? Nós temos montanhas, uma imensidão de território com todo tipo de vegetação e clima imagináveis; nossa culinária é incrível e muito imitada – quem aí nunca comeu num restaurante de “comida mineira” autenticamente feita em qualquer lugar bem longe do meu querido estado? A única coisa que falta às minhas Minas Gerais é um litoral, e, talvez por isso, nós aqui da terra do “uai” gostemos tanto de subir a serra. Não sei se vocês já ouviram algo sobre isso, mas conseguimos inclusive “mineirar” a praia, quem nunca passou um feriado assando e empanado na areia, sob o conhecido “sol de mineiro”? Para quem num entendeu nada, um dia de sol de mineiro é aquele cheio de mormaço e um pouco chuvoso, em que o cidadão esperto ou fia em casa ou se reboca de protetor solar, mas sempre tem um bendito mineiro aproveitando o clima, e correndo atrás do guarda sol, por causa da ventania.  Falei antes sobre comida não é? Temos o tropeiro, o tutu, os doces artesanais, a cachaça e o hours concours pão de queijo. Mas vira e mexe você vê mineiro passando mal por causa de uma caldeirada, ou intoxicado de tanto camarão que comeu. Só porque raramente se apresenta a oportunidade desse tipo de cardápio por essa bandas. Nós mineiros, para sermos completamente felizes, precisaríamos de um pedacinho desse imenso litoral que é o brasileiro, mas enquanto isso não vem, nós continuamos invadindo a sua praia: a sua do paulista, do carioca ou do baiano. Ainda bem que o povo brasileiro é solidário com essa gente que entende tudo de queijo, e muito pouco, de marolas e arrebentações.

6 comentários:

Nany disse...

Sou exceção à regra, odeio praia. uehuehue

Lis S. disse...

Gostei do post Mayara. :)

Mas é assim mesmo. Eu estou morando numa cidade de praia, e quase nunca piso lá. É assim, a gente reclama qdo não tem, e qdo tem, não valoriza. Mas eu e marido estamos com planos de passear mais, ir mais à praia e descobrir novos lugares. E falando em Revenge, eu adoro essa série! E oq é aquela casa da Emily Thorne? Muito linda! É o que chamam de Beach Cottage, acho inspirador. :) Bjos!

AnaCristina disse...

acho que os caldenses gostam de praia por causa daquele pedacinho do bairro que fica no estado de sao paulo rsrsr bom, eu sou suspeita, nao gosto de praia...gosto de subir a serra de sao domingos e caminhar nas calçadas da afonso junqueira!!

patty disse...

Oi Mayara! Eu gosto de tudo: de praia e de serra, então estou no local perfeito! Se bem que a nossa praia aqui é meia boca, mas quebra o galho:)
O título do seu post é perfeito!
Aliás, sei de onde vc pegou a inspiração vermelha: Revenge, of course! Nunca vi uma série com tanto vermelho!
Bjs.

Adelaide Araçai disse...

Adorei...eu amo praia - nascer do sol, por do sol, caminhar a beira mar, ir em todo lugar de shorts regata e havainas no pé...mas não gosto de areia, de ficar estatelada no sol, nem entro no mar....rsrs Sempre que possivel, assim como so mineiros me enfio numa praia...rsrs Agora vamos combinar,....o povo pra fazer pão de queijo gostoso....vixi.Tenho vontade de conhecer MG mas como não tem praia sempre sou voto vencido...rsrs
Vou tentando um dia chego por essas bandas, vou vencê-los no cansaço...rsrs

Abraços

Abraços

MYSS disse...

Plagiando a música do César Menotti e do Fabiano, "...se Minas não tem mar, o mar também não tem Minas Gerais..." ADORO uma praia pela brisa, pela areia onde gosto de caminhar à tardinha com a água batendo no joelho, pela pouca roupa necessária, pelos camarões e pexies e conchas e por aí vai...Se eu pudesse viveria 6 meses no sítio e 6 meses na praia. Quem sabe o futuro permitirá????