segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Controlo o calendário sem utilizar as mãos.


Uma das frases mais emblemáticas da “MPB”. O que será que o saudoso Buchecha quis dizer com ela? Eu não sei, mas sou obrigada a admitir que nem com as duas mãos consigo controlar um calendário. Sério, eu não sei até hoje direito que dia é o aniversário do meu irmão mais novo – que tem 12 anos? Ou será 11? - e também não consigo guardar a data de nascimento de nenhuma das minhas irmãs. Sempre que me perguntam a idade delas, tenho que fazer uma “contagem regressiva” tipo... eu tenho 24, a Nany três a menos, a Lala, ah, deve tá com 17 e a Rá... três a menos que ela? Não, eu fui na festa de 15 anos delas, então deve ser só menos dois...


Enfim, é assim com tudo: só guardei o aniversário de namoro porque né, 5 anos e tal, mas mesmo assim, na maior parte dos meses, eu só lembro dois dias antes e um depois, ou depois que a gente foi dormir, ou depois que o Junior me lembra. Nada romântico, admito, mas fazer o que?!


Tem gente que eu conheço, que sabe dia que conheceu o primeiro namorado, quando perdeu a virgindade, primeiro beijo, o primeiro sorvete que tomou junto com o namoradinho da primeira série e diabo-a-quatro. Admiro, mas confesso que eu pra saber quando beijei a primeira vez na boca tenho que pensar na escola, em que série eu estava e o que estava estudando. Parece mentira? Meu primeiro namoradinho (platônico) eu estava na quinta-série e estudava o verb to be na aula de inglês, o primeiro namorado me lembra a sétima série e a professora de português analisando “Tempo perdido” do Legião Urbana. Engraçado né?! Tudo é um questão de aulas, conteúdos, minha memória é fotográfica, eu lembro de lugares onde as pessoas estavam, embora não consiga lembrar do que conversávamos. (Eis que agora, escrevendo aqui, tive uma ideia: vou fazer um calendário grandão e decorar as posições, quem sabe assim não esqueço do aniversário de ninguém importante). 
Por que falar isso tudo? É a primeira vez na minha vida que eu estou contando os dias e não esquecendo de jeito nenhum: dia 10 de março eu saio de férias, as primeiras desde que comecei a trabalhar. E e estou literalmente, riscando o calendário, que nem preso prestes a ser solto.


Nunca antes na história desse país, uma pessoa esperou tão ansiosamente por dez dias, meus queridos. Quem conhece mais músicas sobre calendário?!

"Eu sigo o calendário maia
E sou descendente dos astecas
Hoje vai ter prova
Mas no final da aula
Acho que tem futebol
Gosto quando estou feliz
Gosto quando sorris para mim
Estou longe, longe
Estou em outra estação"
 (Legião Urbana)


5 comentários:

Viviane Alves disse...

Oie, passei pra agradecer sua visitinha no meu blog e já estou te seguindo.
Aproveita e pega uns selinhos que acabei de postar, os q vc quiser... Seu Blog é um graça, bjs

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Mayara,
Hoje em dia existem várias formas de comunicar "meio sem querer" o nosso aniversário: orkut, twitter, facebook, blogs... acho que hoje em dia só esquece quem quer ou quem não está em nenhuma rede social. Bjs e obrigada pelas suas visitas ao meu blog!

Adriana Alencar disse...

Olá Mayara!
Vim retribuir a visita, gostei muito do seu espaço, eclético e bem escrito, estarei sempre por aqui!
Um abraço
Adri

Suzala Moura disse...

May, para férias, eu controlo o calendário sem utilizar as mãos...kkk...beijos, linda e chega logo, férias!

Apenas um lugar para ser (Lis) disse...

Oi Mayara, obg pelo seu comentário, acho q suas palavras foram mto sensatas, tem coisas q o amor não resiste, enquanto a boa convivência sim.

Com relação ao seu texto, eu sou mais ou menos como vc, péeessima p\ decorar datas, por isso sou dependente de agenda e lembretes de celular. Eu tb me situo no q estava fazendo p\ me lembrar q ano ou dia era aquele. Mas dos males o menor, né? =)

Q bom q suas férias estao chegando!! Aproveite muuuuito! Bjs!